terça-feira, agosto 28, 2007

A visão da cruz

Alguns dias atrás, estavámos em um culto, enquanto uma irmã orava, Deus me deu uma palavra: Ele estava nos levando de volta a visão da cruz. O que significa a visão da cruz? A Palavra do Senhor diz: "Certamente, a palavra da cruz é loucura para os que se perdem, mas para nós, que somos salvos, poder de Deus" 1 Co 1.18. Jesus afirmou: "Se alguém quiser vir após mim, renuncie-se a si mesmo, tome sobre si a sua cruz, e siga-me" Mt 16.24.
Nada mais perverso poderia ser concebido do que crucificar o próprio Deus! Tanto que para muitos a cruz era um escandalo, como afirmou Paulo. De acordo com uma tradição judaica, Jesus de Nazaré não teria sido crucificado pelos romanos, mas sim teria sido um religioso anterior chamado Jesus Ben Pantera declarado herege pelo Sinédrio, apedrejado e pendurado em uma árvore na véspera da Pessach de 88 a.C. e cuja história teria originado a tradição posterior aceita pelo Cristianismo. Já de acordo com o Islão, a crucificação de Jesus teria sido aparente, já que Deus não permitiria tão grande sofrimento para um justo.
Mas foi ali, na cruz, que Cristo em seu infinito amor e misericórdia, orou: "Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem" (Lc 23.34). Assim sendo, a cruz prova que existe perdão para o pior dos pecados, e para o pior dos pecadores.
A cruz é o lugar onde nós morremos em Cristo. Paulo declarou que, em Cristo, o crente está crucificado para o mundo e o mundo para ele (Gl 6.14). É uma linguagem bem forte! Este mundo odiou e crucificou o Senhor a quem nós amamos – e, através desse ato, crucificou a nós também. Nós assumimos uma posição com Cristo. Que o mundo faça conosco o que fez com Ele, se assim quiser, mas fato é que jamais poderemos nos associar ao mundo em suas concupiscências e ambições egoístas, em seus padrões perversos, em sua determinação orgulhosa de construir uma vida ou um mundo sem Deus, inclusive desprezando a eternidade oferecida por Ele.
Crer em Cristo pressupõe admitir que a morte que Ele suportou em nosso lugar era exatamente o que merecíamos. Quando Cristo morreu, portanto, nós morremos nEle: "...julgando nós isto: um morreu por todos, logo todos morreram. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou" (2 Co 5.14-15).
"Mas eu não estou morto", é a reação veemente. "O eu ainda está bem vivo." Paulo também reconheceu isso: "...não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço" (Rm 7.19). Então, o que é que "estou crucificado com Cristo" realmente significa na vida diária? Não significa que estamos automaticamente "mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus" (Rm 6.11). Ainda possuímos uma vontade e ainda temos escolhas a fazer.
Jesus escutou: “Salvou os outros, e a si mesmo não pode salvar-se. Se é o Rei de Israel, desça agora da cruz, e creremos nele” Mt 27.42. Muitas vezes você será convidado a sair deixar a cruz. Qual será a sua escolha?
Tomar a cruz significa renuncia, humildade e serviço. Estamos dispostos?

Um comentário:

Humberto disse...

essa palavra veio direto do céu! glória a Deus.